Geral

Advogada é flagrada tentando entrar em presídio com celulares escondidos dentro de TV

Uma advogada foi levada à delegacia nesta quarta-feira (13) após ser flagrada tentando entrar na Casa de Prisão Provisória (CPP) de Palmas com celulares e carregadores. De acordo com Secretaria de Estado da Cidadania e Justiça (Seciju), os itens estavam escondidos dentro de uma televisão que seria entregue para um preso que é cliente da suspeita.

O órgão não informou o nome da advogada. Disse que após o aparelho ser passado pelo Raio-X, “foi verificado que continha objetos ilícitos”. Trata-se de quatro celulares e quatro carregadores e uma serra, que foram apreendidos por agentes penitenciários.

Após o flagrante, a advogada e os materiais foram encaminhados à Delegacia da Polícia Civil.

A Ordem dos Advogados do Brasil (OAB) do Tocantins informou que está acompanhando o caso e que, até o momento, a Procuradoria esclarece que a advogada foi conduzida à delegacia como testemunha do caso e liberada após prestar depoimento. “Desde que foi comunicada do fato, a OAB/TO acionou imediatamente a Procuradoria de Prerrogativas para acompanhar o caso para preservar os direitos da advogada”, informou.

As visitas na CPP de Palmas tinham sido suspensas na primeira semana de janeiro após um detento ser diagnosticado com coronavírus. Na época a Seciju informou que, para evitar novas confirmações entre presos e servidores, a suspensão valeria até o dia 20 de janeiro, podendo ser prorrogada.

Nesta quarta-feira (13), após o flagrante com a advogada, a pasta confirmou que as visitas permanecem suspensas, mas não informou porque a mulher foi autorizada a entrar na unidade.

G1 TO